Post Principal

Hiperplasia gengival medicamentosa: o que é e como tratar

hiperplasia gengival medicamentosa

Quando o tecido mole está crescendo ou inchado, pode ser sinal de hiperplasia gengival medicamentosa (HGM).

A condição é benigna e tem tratamento. No entanto, quando ela está relacionada ao uso de algum remédio, requer um acompanhamento multidisciplinar.

Nas linhas a seguir, entenda melhor sobre o tema e saiba o que fazer em caso de hiperplasia gengival medicamentosa.

O que é hiperplasia?

A hiperplasia é uma condição que faz com que a gengiva cresça por cima do dente. Contudo, isso pode acontecer de forma bem discreta, como um inchaço, ou pode ter maior extensão, cobrindo boa parte do dente.

Basicamente, a causa é o acúmulo de células na região. E isso geralmente acontece por causa de uma inflamação ou pelo uso de certos remédios. Daí o nome hiperplasia gengival medicamentosa.

No caso de inflamação na gengiva, geralmente a causa é a gengivite. Por sua vez, é consequência do acúmulo de placa bacteriana

Portanto, uma das formas de prevenir é mantendo a boa higiene bucal. Principalmente para quem usa aparelho ortodôntico, já que fica mais difícil manter a limpeza, levando a quadros de hiperplasia.

Além dessas questões, a hiperplasia também pode ser consequência de alterações hormonais, da leucemia, ou mesmo uma questão genética, por exemplo.

Substâncias que causam hiperplasia gengival medicamentosa 

Já no caso da hiperplasia gengival medicamentosa, algumas substâncias estão entre as principais causas. Inclusive, o problema pode ser encontrado entre as reações adversas da bula. Entre os remédios estão anti-hipertensivos, imunossupressores, antipiréticos, entre outros.

Como tratar a hiperplasia gengival medicamentosa?

Se você percebeu a gengiva crescendo entre os dentes ou sobre eles, o ideal é procurar um dentista o quanto antes.

Caso faça uso contínuo de algum remédio, informe ao dentista. Você também pode conferir se há relação com a hiperplasia na bula.

Em situações assim, é possível conversar com o médico que prescreveu o remédio para entender se é possível alterar a dosagem ou encontrar outra solução viável.

Contudo, é possível tomar algumas medidas, independentemente das causas, se hiperplasia gengival medicamentosa ou por alguma inflamação, por exemplo.

Uma delas é caprichar na higiene bucal. O dentista pode realizar a limpeza em consultório para remover a placa bacteriana e o tártaro. E esse é um procedimento coberto por convênios dentários!

Além disso, é fundamental manter uma dieta equilibrada, evitando açúcar e carboidrato em excesso, pois isso aumenta o risco de desenvolver cárie, por exemplo.

O dentista também pode avaliar a possibilidade de realizar uma pequena cirurgia na gengiva, para remover o excesso do tecido.

Portanto, não espere e procure um dentista o quanto antes para entender as causas da hiperplasia e começar o tratamento mais adequado.

0 comentário em “Hiperplasia gengival medicamentosa: o que é e como tratar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: