Post Principal

Biofilme subgengival é fator de risco para periodontite. Saiba o que fazer

biofilme subgengival

A placa bacteriana é a responsável pela maioria dos problemas bucais como cárie, gengivite e periodontite. Neste último caso, a causa é o biofilme subgengival, que leva à inflamação e ao sangramento do tecido mole, podendo até fazer com que o paciente perca o dente.

Portanto, nada de se descuidar! Nas linhas a seguir, você entende mais sobre esse assunto e aprende a evitar o biofilme subgengival. Confira!

O que é o biofilme subgengival?

Chamamos de biofilme subgengival a placa bacteriana que se forma abaixo da gengiva, ou seja, em uma região do dente que não fica exposta.

Entretanto, antes de chegar a essa área, a placa atinge a parte visível do dente e causa gengivite.

Assim como o biofilme que se forma em outras partes da cavidade bucal, o subgengival também consiste em uma junção de fatores como bactérias, resíduos de comida e saliva.

Basicamente, ele se forma por causa da higiene inadequada, que causa a gengivite e evolui.

Contudo, outros fatores podem favorecer o seu surgimento, como é o caso de próteses mal adaptadas, traumas pelo uso de aparelho ortodôntico, além da alimentação com excesso de comida pastosa ou ausência de alimentos duros e fibrosos.

Placa subgengival pode levar à perda do dente

Uma das consequências do acúmulo do biofilme subgengival é a periodontite, ou seja, a inflamação do periodonto de sustentação. 

Quando essa região é afetada, sofre desgaste. E com danos ao osso que sustenta o dente, ele pode amolecer e cair.

Geralmente, a doença periodontal tem início a partir da gengivite, ou seja, do acúmulo do biofilme supragengival, que fica na parte visível do dente, próximo ao tecido mole.

Conforme ele avança, causa danos que resultam em sintomas como sangramento, escurecimento da gengiva e mau hálito. Outros sinais também podem surgir como retração da gengiva, sensibilidade e abscesso.

Saiba como tratar esse tipo de biofilme

O tratamento do biofilme subgengival é feito em duas fases. Isso porque é necessário cuidar primeiro do problema supragengival.

Assim que a gengivite for eliminada, é a hora de remover o biofilme abaixo do tecido mole. Justamente pela sua localização, para remover o biofilme subgengival o dentista precisa acessar essa região para fazer uma raspagem e um alisamento da superfície. 

A diferença entre esses procedimentos é a amplitude e a frequência dos movimentos feitos pelo dentista. 

Contudo, esses não são considerados procedimentos cirúrgicos, já que atingem apenas uma parte superficial da raiz do dente. Porém, requerem anestesia local, evitando desconforto e dor ao paciente.

Geralmente, o dentista usa limas ou curetas nas duas etapas. A escolha do melhor instrumento vai depender da avaliação do profissional e do quadro do paciente.

O objetivo do tratamento é eliminar a inflamação, controlar o biofilme subgengival e o sangramento, além de reduzir a profundidade de sondagem. Isso porque, quanto mais inflamada estiver a região, maior a profundidade que os instrumentos conseguem atingir.

Bons hábitos de higiene ajudam a evitar biofilme subgengival

O biofilme subgengival é mais comum em adultos, mas pode acontecer em qualquer idade. A principal causa é a má higiene bucal. 

Portanto, para evitar esse problema, o ideal é escovar os dentes após as refeições e antes de dormir, além de usar fio dental todos os dias. O raspador de língua também ajuda a manter a cavidade bucal livre de bactérias.

Além dessas medidas, a alimentação pode contribuir. Isso porque comidas ricas em carboidrato e açúcar favorecem a proliferação de bactérias.

O contrário acontece com os chamados alimentos detergentes, capazes de limpar a cavidade bucal por serem duros ou fibrosos. Portanto, é fundamental manter uma alimentação balanceada para garantir a saúde bucal. 

E, claro, também é muito importante manter visitas regulares ao dentista. Assim, é possível identificar problemas logo no início. Por exemplo, se estiver com gengivite, o tratamento precoce evita a evolução para a doença periodontal.

No consultório, o profissional também remove o tártaro e a placa bacteriana, evitando problemas ainda maiores. 

Fica mais fácil manter a saúde bucal em dia quando você tem um convênio dental. Assim, garante consultas regulares e tratamentos como a limpeza (profilaxia) por um custo acessível!

0 comentário em “Biofilme subgengival é fator de risco para periodontite. Saiba o que fazer

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: