Post Principal

Plano odontológico empresarial: o que levar em consideração antes de contratar?

Nenhuma empresa é obrigada a oferecer um plano odontológico a seus funcionários. O benefício, porém, é positivo e funciona até mesmo como diferencial competitivo na hora de atrair talentos.

Pagar por serviços odontológicos pode sair caro. Assim, a opção por um plano odonto empresarial acaba sendo uma estratégia baseada no bem-estar e satisfação dos funcionários.

Neste post, além de saber o porquê, você vai encontrar informações relevantes sobre o que considerar antes de contratar esse tipo de serviço. Acompanhe!

Benefício odontológico para empresas: como funciona

Um plano odontológico é um serviço que, mediante o pagamento de mensalidades, permite que o beneficiário tenha acesso a tratamentos para sua saúde dental. Você já deve conhecer essa ideia.

Quando oferecido como forma de benefício aos funcionários, existe a partir de um acordo firmado entre o empregador e uma operadora que ofereça o serviço.

Os tipos de tratamento que o plano odonto empresarial cobre depende do serviço contratado. Alguns são mais básicos, enquanto outros são mais robustos; cabe à empresa decidir qual caminho seguir.

Como mencionamos, a oferta do plano odontológico não é obrigatória. Assim, caso opte por esse tipo de benefício, a empresa deve apresentá-lo aos seus funcionários e permitir que estes escolham se desejam ou não ser beneficiados.

É importante ressaltar isso porque, em alguns casos, o empregador arca com a mensalidade integral do plano odonto. Em outros, o valor é dividido entre a empresa e o funcionário, sendo descontado da folha de pagamentos.

As condições precisam estar claras para que os funcionários façam sua escolha, sendo que a decisão deve ser mencionada no contrato de trabalho.

Por que oferecer plano odontológico para seus colaboradores

Mencionamos anteriormente que o plano odontológico pode funcionar como um diferencial competitivo. Esse é, portanto, um dos motivos para oferecê-lo aos funcionários de sua empresa.

Para a empresa, a contratação de uma operadora para um plano odonto se traduz na oferta de um benefício de baixo custo. Ainda no que diz respeito à questão financeira, esse tipo de plano pode ser descontado do Imposto de Renda.

O que estamos dizendo é que a organização, com o devido planejamento, pode ser capaz de oferecer o benefício sem comprometer sua saúde financeira e obter vantagens em troca.

Ainda no movimento de contratar novos talentos, o plano odontológico chama atenção na lista de benefícios ofertados. Já dentro da realidade da empresa, a oferta agrada os funcionários.

Cuidar da saúde é necessário e tratamentos dentais são caros. A segurança de saber que a empresa vai cobrir essa necessidade, integral ou parcialmente, gera tranquilidade e bem-estar.

Essa combinação de fatores impacta positivamente desde a produtividade dos funcionários até a sua visão sobre a marca empregadora.

Plano odontológico para a sua empresa: o que considerar na contratação

Agora que você já sabe como funciona e por que oferecer um plano odontológico aos funcionários, vamos a alguns fatores que precisam ser considerados:

Custo por colaborador

O plano odonto pode ser acessível a ponto do empregador conseguir arcar com o valor integral, sem precisar descontar uma parte do salário dos funcionários.

Entretanto, é fundamental que isso faça sentido frente ao orçamento que a empresa tem disponível.

Por isso, é sempre necessário avaliar o custo por beneficiário e as condições apresentadas por cada operadora.

Possibilidade de coparticipação

Há planos odontológicos que definem um valor fixo, porém mais elevado. Nesses casos, não faz diferença se o funcionário realizou ou não algum tratamento no mês, o custo para a empresa é o mesmo.

Porém, há planos que apresentam a possibilidade de coparticipação e isso pode ser mais interessante para as finanças da empresa.

Quando essa possibilidade existe, o empregador arca com o pagamento das mensalidades e, nos meses em que buscar um tratamento, o funcionário paga o valor adicional cobrado pelos atendimentos e procedimentos realizados.

Rede credenciada de atendimento

Pouco adianta oferecer um plano odonto empresarial se os dentistas e ortodontistas não atenderem este plano.

Sendo assim, antes da contratação, a empresa precisa se informar sobre a rede credenciada para avaliar o número de profissionais, suas especialidades e locais de atendimento.

Do contrário, vai gastar com um plano que os funcionários não vão conseguir usar. Para a empresa, isso representaria uma despesa sem sentido e, para os trabalhadores, uma frustração.

Cobertura de procedimentos

Ainda, é interessante saber o quão abrangente é a cobertura do plano odontológico que cabe no orçamento da empresa.

Por lei, as operadoras de planos odontológicos são obrigadas a oferecer serviços listados pela ANS, a Agência Nacional de Saúde.

Isso inclui tratamentos preventivos e atendimentos de urgência. Além disso, é interessante saber que, em geral, os serviços ofertados pelos planos são: 

  • limpeza e remoção de tártaro;
  • aplicação de flúor;
  • tratamento de cáries;
  • restaurações;
  • tratamentos gengivais;
  • extração de dentes e outros.

Principais dúvidas do plano odontológico empresarial

Por fim, há algumas questões que precisam ser esclarecidas para que a empresa tenha clareza das regras relativas ao plano odontológico oferecido aos funcionários. Veja só:

O plano odontológico empresarial tem carência?

Sim. O período de carência do plano odontológico pode variar de acordo com as regras da operadora e com o tipo de atendimento a ser realizado.

Em geral, questões de urgência ou emergência demandam uma carência bem mais curta, de 24h. Por sua vez, pode ser preciso esperar até 180 dias para realizar procedimentos mais complexos.

Importante! É possível que, por meio de uma negociação, o tempo de carência seja reduzido caso necessário. Algo que envolve o pagamento de uma quantia adicional. Além disso, há planos que oferecem opções sem carência, como é o caso da W.Dental.

O plano odontológico aceita dependentes?

É possível. Há operadoras de plano odontológico que permitem a inclusão de dependentes.

Pode ser, porém, que essa seja uma decisão que caiba à empresa ou que mude os termos do acordo firmado entre empregador e funcionários.

Sendo assim, você precisa dar atenção aos detalhes e, havendo a possibilidade de dependentes, dobrar a atenção com a gestão de benefícios para que nada saia do controle da empresa.

Tenho cobertura para aparelho ortodôntico?

Em alguns casos. Não é todo plano odontológico que tem cobertura para a colocação de aparelho ortodôntico e para os atendimentos de manutenção.

Assim, trata-se de mais um ponto a ser estudado, sobretudo considerando as necessidades mais comuns dos funcionários.

Meu plano de saúde cobre procedimentos odontológicos?

Na maioria das vezes, não. Diferentemente do que muitas pessoas pensam ou esperam, a maioria dos planos de saúde exclui os tratamentos bucais e odontológicos da sua lista de procedimentos.

Conclusão

Cuidar da saúde bucal é importante e potencialmente caro quando é preciso pagar por um plano individual ou até por atendimentos particulares.

Sabendo disso, empresas têm o plano odonto como uma ótima alternativa de benefício pelo baixo custo na contratação empresarial e pelo impacto positivo junto aos funcionários.

A Pipo Saúde é especialista em conectar você aos melhores planos odontológicos para sua organização, ajudando no processo de cotação, contratação e gestão de benefícios. Conte conosco!

Está na hora de avaliar mais de perto a possibilidade de oferecer um plano odonto aos seus funcionários? Conheça a Pipo!

0 comentário em “Plano odontológico empresarial: o que levar em consideração antes de contratar?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: