Post Principal

Clareamento odontológico: 7 pontos que você precisa conferir antes de fazer

Ter dentes branquinhos, como de artistas e famosos, está cada vez mais acessível. Não é à toa que o clareamento odontológico é um dos procedimentos estéticos mais procurados nos consultórios.

O procedimento é a única forma segura de clarear os dentes e se livrar da pigmentação que acontece naturalmente com o passar o tempo. Portanto, se você quer fazer clareamento odontológico, procure um dentista.

E antes de fazer o seu clareamento, tem alguns pontos que você precisa saber. Confira as linhas a seguir e tire as suas dúvidas sobre o assunto.

1. Como funciona o clareamento odontológico? 

É como uma limpeza mais profunda do que a que a escovação proporciona. Para isso, são usadas substâncias como peróxido de hidrogênio ou carbamida. Elas liberam oxigênio, o que clareia os dentes.

2. Há mais de uma opção de clareamento

Dependendo da avaliação do seu dentista, dá para escolher entre diferentes tipos de clareamento odontológico. O mais comum é o caseiro. Nesse caso, o profissional faz um molde de material maleável e entrega para o paciente junto com o gel clareador. É preciso seguir as orientações e usar o produto no período de horas e dias indicados pelo dentista. Geralmente, é a opção com resultados mais duradouro, de aproximadamente dois anos.

Outra opção – mais rápida, mas também mais custosa – é o clareamento odontológico a laser. Esse procedimento é feito no consultório com a aplicação do gel e de uma luz que potencializa os efeitos.

Há ainda a possibilidade de fazer somente a aplicação do gel em consultório. Com a supervisão direta do profissional, dá para usar o produto em concentração maior e ter resultados mais rápidos.

3. O dente pode voltar a ficar amarelado

A duração do efeito do clareamento odontológico varia de pessoa para pessoa. Mas, de fato, os dentes voltam a amarelar com o passar do tempo. Isso acontece de maneira natural ou por causa de agentes externos, como consumo exagerado de alimentos pigmentados, uso de certos medicamentos, tabagismo, entre outros.

4. Alimentação ajuda a manter dentes brancos

Depois de fazer clareamento odontológico, o ideal é evitar o excesso de alguns alimentos que ajudam a acelerar o processo de pigmentação dos dentes. Entre eles estão bebidas como café, chás, refrigerantes e vinho, além de açaí, molho de tomate, beterraba e mirtilo, por exemplo.

Assim como há certos alimentos que aceleram o amarelamento dos dentes, também existem outros que mantêm os efeitos do clareamento por mais tempo. Esse é o caso da maçã e do morango, que agem limpando a superfície dos dentes e evitando que as substâncias de outros alimentos deixem eles amarelos.

5. Quem tem dentes sensíveis também pode fazer clareamento odontológico

Embora haja receio de quem sofre de sensibilidade, é sim possível fazer clareamento. Entretanto, tudo vai depender da avaliação do dentista. Caso ele recomende o procedimento, pode pedir o uso de pasta de dente específica antes do início, além de tomar outras medidas durante e após o tratamento para evitar dores e outros problemas.

6. Quanto custa um clareamento?

Os valores variam de acordo com o profissional e com a região. Contudo, podem começar em R$ 800, dependendo também do tipo de clareamento.

7. Existe plano odontológico que cobre clareamento

A melhor maneira de manter os dentes branquinhos, a boca sempre saudável e ainda economizar, é ter um plano odontológico. A W.Dental, por exemplo, tem clareamento caseiro em todos os planos. Ah, e os valores começam em R$ 15,99 mensais, e ainda tem opção com ortodontia. Vale a pena conferir!

0 comentário em “Clareamento odontológico: 7 pontos que você precisa conferir antes de fazer

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: