Post Principal

Aparelho ortodôntico: tudo o que você precisa saber antes de usar

O uso do aparelho ortodôntico está bastante popular. Afinal, quem não quer ter dentes perfeitamente alinhados e um sorriso bonito? No entanto, esse é um tratamento que pode levar meses, e até anos. Por isso, alguns pontos merecem atenção.

Em média, o tempo de uso do aparelho ortodôntico é de dois a três anos, variando de acordo com o objetivo, sua complexidade e a cooperação do paciente.

Antes visto como um tratamento para crianças e adolescentes, hoje em dia é comum em pessoas de todas as idades, incluindo idosos. Entretanto, quando o tratamento é feito ainda na infância, pode ser menos complexo e mais eficiente.

Se você ainda tem dúvidas sobre o tratamento com aparelho ortodôntico, está no lugar certo! Levantamos as principais questões para te ajudar a tomar a decisão e correr já para começar a alinhar os dentes. Confira!

Tratamento também depende do paciente

Se você quer colocar ou já usa aparelho ortodôntico, tenha em mente que parte do tratamento depende de você.

No caso de um aparelho móvel ou alinhador, por exemplo, há um mínimo de horas de uso por dia, de acordo com a recomendação do seu ortodontista. Do contrário, o tratamento pode não surtir o efeito desejado.

Isso sem falar nos elásticos intermaxilares, que ajudam a encaixar a mordida e aceleram o tratamento. Eles podem ser incômodos e pouco estéticos, mas fazem toda a diferença no resultado final. Portanto, tenha disciplina para usar o acessório ao longo do dia.

Você também vai precisar cuidar bem do seu aparelho, evitando que as peças se soltem, como veremos mais à frente. Ah, também é preciso manter as manutenções em dia para garantir o bom progresso.

Todo tratamento tem um planejamento

Antes mesmo de começar a usar o aparelho ortodôntico, o paciente passa por uma avaliação clínica e realiza alguns exames. É com base nesses dados que o ortodontista traça um plano para aplicar durante o tratamento.

Ele avalia o passo a passo do que vai precisar ser feito e, com base nisso, estima também o tempo necessário para o tratamento. É nessa fase que você deve tirar todas as suas dúvidas.

Em alguns casos, esse plano pode prever a extração de um ou mais dentes. Isso acontece quando não há espaço suficiente na arcada para comportar todos os elementos. Na maioria dos casos, a recomendação é retirar os dentes siso, que não têm mais função na mastigação do ser humano moderno.

Aparelho ortodôntico não é só para questões estéticas

A odontologia estética pode oferecer muito mais do que um sorriso bonito. Embora o aparelho ortodôntico seja comumente associado a dentes alinhados, também pode ajudar a ajustar a mordida e até auxiliar no tratamento de dores de cabeça e de ouvido.

Isso sem falar que dentes alinhados previnem problemas como desgastes, fraturas e até mesmo a gengivite. Além disso, pode melhorar a dicção e a respiração, melhorando não só a qualidade do sono, como também o dia a dia do paciente.

Existem diferentes tipos de aparelho ortodôntico

  • Aparelho móvel: opção ideal em casos específicos, como crianças em fase de crescimento. Pode ser combinado com o tratamento com aparelho ortodôntico fixo. Ele é retirado para comer e para fazer a higiene bucal, o que é uma vantagem.
  • Aparelho fixo metálico: esse é o tipo mais comum, com peças em metal e borrachinhas (que podem ser coloridas) para prender ao fio. Também é o modelo mais em conta, apresenta bons resultados em praticamente todos os casos.
  • Aparelho fixo de porcelana ou safira: é como o modelo citado anteriormente, mas com bráquetes em material da cor do dente, o que torna a aparência mais discreta e não amarelam ao longo do tempo.
  • Aparelho autoligado: nesse caso, não é preciso usar as borrachinhas, pois o fio e os bráquetes são integrados. Contudo, se as peças forem de porcelana ou safira ficam bem discretas. Além disso, o tempo de tratamento costuma ser menor com esse modelo.
  • Aparelho invisível: esse é o aparelho fixo que tem bráquetes colados na parte interna dos dentes. Essa é uma forma de ter um tratamento eficiente e bem discreto. Entretanto, a opção pode não ser ideal para todos os pacientes.
  • Alinhador dentário: em alta, ele é uma placa transparente super discreta, maleável e removível. Portanto, uma vantagem é a facilidade da higiene bucal. Além disso, o tratamento está entre os mais rápidos e requer menos idas ao dentista, já que todas as placas são entregues ao paciente no início do tratamento. Entretanto, há casos em que não é recomendado.

Mantenha em dia a manutenção do aparelho ortodôntico

Não importa o tipo de aparelho ortodôntico que você escolheu, saiba que será necessário retornar ao ortodontista de tempos em tempos para fazer a manutenção. Na maioria dos casos, ela é mensal.

Durante essa consulta, o profissional faz ajustes com o intuito de que o aparelho exerça a força necessária para movimentar os dentes. 

O intervalo das visitas vai variar de acordo com o tipo de aparelho ortodôntico que você usa. Consulte o ortodontista e siga as suas recomendações.

Durante o tratamento, redobre os cuidados com a higiene bucal

Sobretudo no caso do aparelho fixo, as chances de ter problemas como cárie, gengivite e manchas aumentam durante o tratamento. É que os bráquetes e fios facilitam o acúmulo de restos de alimentos, que favorecem o surgimento da placa bacteriana.

Junte isso ao fato do uso do fio dental ser um pouco mais complicado e pronto: um prato cheio para problemas bucais. Portanto, não descuide da higiene durante o uso do aparelho ortodôntico.

Converse com seu dentista e veja quais são as suas recomendações. Há escovas específicas para quem está em tratamento, além de passadores de fio dental, que facilitam muito essa função.

Além disso, é importante manter a limpeza em consultório em dia. Faça pelo menos a cada seis meses, intervalo de tempo previsto em planos odontológicos. Assim, você mantém a boca livre da placa e do tártaro.

Alimentação também requer atenção

Quem usa aparelho ortodôntico fixo não precisa fazer restrição alimentar. Contudo, tenha alguns cuidados. Evite morder com os dentes da frente, por exemplo, pois a pressão pode fazer com que os bráquetes se soltem.

Além disso, tente ficar longe de alimentos muito duros, como rapadura, maçã do amor e até pipoca, pois morder o milho pode fazer com que alguma peça se solte. Para não ficar só na vontade durante todo o tratamento, você pode tentar cortar pedaços menores e mastigar com cuidado.

Manter todas as peças coladas e íntegras ajuda a ter um tratamento bem-sucedido. Quando algo se solta, os dentes podem correr até que você consiga ir ao dentista para fazer a manutenção e o conserto.

Depois de tirar o aparelho, vem a contenção!

Ao fim do tratamento, costuma ser necessário usar uma contenção para evitar que os dentes voltem à posição anterior. No geral, a indicação é usar um aparelho móvel na arcada superior durante a noite, para dormir. Já a arcada inferior recebe uma contenção que é fixa e precisa ser mantida. 

Se o paciente não cumprir essas recomendações por aproximadamente dois anos, pode colocar todo o progresso em risco.

Existe plano dental que cobre ortodontia

O que nem todo mundo sabe é que é possível ter um plano dental que cubra aparelho ortodôntico. Nesse caso, as mensalidades costumam ter preços um pouco mais altos, mas vale a pena! Isso porque, além do tratamento ortodôntico, o paciente tem ao seu dispor todos os outros procedimentos cobertos pelo plano em toda a rede credenciada. 

Portanto, dá para manter as limpezas em consultório em dia, fazer restaurações e o que mais for necessário sem pagar nada a mais por isso. Na W.Dental, por exemplo, o plano individual com ortodontia sai por R$ 169,99 mensais. E você ainda pode colocar até 4 dependentes! Ah, e o plano inclui clareamento caseiro, para você ter dentes ainda mais bonitos.

0 comentário em “Aparelho ortodôntico: tudo o que você precisa saber antes de usar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: