Cárie

Cárie no dente: conheça causas, tratamentos e saiba evitar

Cárie no dente é um dos problemas bucais mais comuns em todas as idades. Causada por diferentes tipos de bactérias, ela começa com uma placa bacteriana, que evolui para a cárie e pode levar a dores, abscessos, podendo ser necessário um tratamento de canal e, em último caso, até a extração do dente.

No entanto, o que nem todo mundo sabe é que é muito fácil prevenir a cárie no dente e suas possíveis consequências. 

Até porque, a cárie no dente pode ser silenciosa e não apresentar sintomas por muito tempo. Contudo, pode ser facilmente descoberta por um dentista em uma visita ao consultório.

Quais são as causas da cárie no dente?

Como citamos, a cárie no dente é formada por bactérias. Esses microrganismos são comuns na nossa boca. No entanto, eles podem se acumular, formando a placa bacteriana, que é uma camada transparente que fica sobre os dentes.

Essas bactérias produzem ácidos a partir de carboidratos e açúcares que ingerimos. Os ácidos, por sua vez, causam a perda mineral do dente, formando uma cárie.

Geralmente, a parte do dente afetada é aquela que fica visível, a coroa. No entanto, a cárie também pode afetar camadas mais profundas, como a dentina, a polpa dentária e as fibras nervosas.

Em estágios iniciais, a cárie no dente não manifesta sintomas no paciente. No entanto, a evolução da perda mineral pode levar à sensibilidade ao ingerir alimentos doces, quentes ou gelados, por exemplo.

Agora, se a cárie afetar camadas internas do dente, pode levar à inflamações e dores mais intensas.

Como tratar a cárie no dente?

Existem diversas maneiras de identificar cárie no dente. No entanto, quando percebemos um dente furado, geralmente é sinal de que o problema já se agravou.

Contudo, se você faz visitas periódicas ao dentista, ele pode detectar a presença de uma cárie no dente logo nas fases iniciais. Uma simples mancha branca pode ser sinal de cárie no dente, por exemplo.

Sendo assim, o profissional pode aplicar flúor e tomar outras medidas preventivas que vão ajudar o dente a se recuperar sozinho, sem a necessidade de uma restauração.

O dentista ainda pode realizar exames de raio-x para encontrar cárie entre os dentes ou cavidades maiores, que já alcançaram a polpa do dente, por exemplo, e não estão visíveis.

No entanto, quando o paciente procura um dentista por causa de uma cárie no dente, é sinal de que ela já está visível. Quando há cavidade por perda de mineral, o profissional precisa realizar uma restauração.

No geral, é usada a broca para retirar a parte afetada e, em seguida, é usado material apropriado para substituir a área que foi removida. Em alguns casos, é necessária anestesia local.

Agora, se a área afetada for muito extensa, o dentista pode oferece como opção uma coroa ou um tipo de prótese.

Já se a cárie no dente tiver afetado a polpa, será preciso realizar um tratamento de canal, em que essa parte interna do dente é removida, assim como suas raízes, e é usado material para substituir o que foi retirado.

Prevenção de cárie no dente pode ser feita com medidas simples

Para prevenir a cárie no dente, algumas medidas simples podem ser tomadas no dia a dia. Fazer a escovação após as refeições e usar fio dental todos os dias são só alguns exemplos.

Se você quiser reforçar a prevenção da cárie no dente, pode ainda usar enxaguantes bucais, que são capazes de eliminar ou neutralizar bactérias.

Outra alternativa pode ser o uso do flúor. No entanto, o ideal é procurar um dentista para que ele indique as medidas de prevenção mais recomendadas para o seu caso.

Ah, e não se esqueça: fazer a limpeza nos dentes no consultório de seis em seis meses pode ser essencial para eliminar a placa bacteriana, identificar problemas logo no início e, claro, prevenir novas doenças bucais, como a cárie nos dentes.

%d blogueiros gostam disto: